Categorias
Tecnologias

Chimarrão, Tereré e Mate

Mesmo que o tereré e o chimarrão se tratem de infusões de erva-mate em água gelada ou quente, todos os nutrientes oferecidos se mantém. Embora a palavra “Guampa” seja comum em uma área em que a influência predominante é guarani, sua origem é do quíchua, em que significa “chifre”. O chifre bovino é frequentemente utilizado como recipiente em todo o Cone Sul do continente sul-americano.

Continue a leitura e descubra algumas curiosidades sobre o tereré. Embora a acepção mate seja castelhana, é utilizada popularmente também no Rio Grande do Sul paralelamente com o termo “chimarrão”.

Lembrando que tanto em uma roda de chimarrão quanto de tererê, se deve respeitar o sentido que a cuia ou guampa é passada (anti-horário ou horário) e jamais se deve mexer na bomba para não bagunçar a erva. Por fim, por mais que as duas bebidas utilizem a erva-mate como base, a verdade é que cada uma tem a sua peculiaridade. As ervas se diferem em algumas questões, como, por exemplo, na própria trituração. A erva utilizada para fazer o tereré é mais grossa, já no chimarrão ela é moída e, por isso, tem textura mais fina. Embora não existam grandes diferenças nos recipientes utilizados para o preparo do tereré e o do chimarrão, vale mencionar que o tereré também pode ser preparado em uma guampa ou copo comum.

Diferença entre Tereré e Chimarrão

Para adquirir uma bomba de qualidade e durabilidade, é interessante buscar um item de alumínio. Mas é preciso destacar que sim, ambas as bebidas são preparadas com erva-mate, porém a erva é diferente para tereré e para chimarrão. Portanto, além das diversas semelhanças, as diferenças entre tereré e chimarrão são importantes. Além disso, os benefícios da erva-mate para a saúde também são mantidos nas duas bebidas.

Entendendo o Mate

Os produtos com mate no nome são todos originados da mesma planta, a erva-mate – que também é conhecida como congonha. O consumo dela em forma de chá, chimarrão ou tereré (chimarrão com água gelada) é muito comum no Uruguai, na Argentina, no Paraguai, na Bolívia, no Chile e no Centro Oeste e Sul do Brasil. O chimarrão é montado com erva-mate moída ( mais fina que a erva mate do Tereré), adicionada de água morna, com um gosto mais amargo, dependendo da qualidade da erva-mate. Embora as duas bebidas usem a erva-mate em sua mistura, cada uma tem sua peculiaridade.

Logo em seguida, são tostadas em um forno até ficarem bem escuras, com coloração próxima ao preto. Para quem não sabe, a guampa é um tipo de recipiente feito com um chifre de boi.

Contudo, mesmo que a bomba seja a mesma, os recipientes nos quais as bebidas são servidas é uma outra diferença entre tereré e chimarrão. Em ambas as bebidas, o utensílio usado para filtrar a erva e ingerir a água com o sabor da erva-mate é o mesmo.

No entanto, crê-se que o tereré já era ingerido pelos índios Guarani, e existem relatos desde o século XVII onde alguns jesuítas aprenderam com eles as virtudes do mate (ka’a em guarani). Os mesmos jesuítas elogiaram os efeitos da erva, afirmando que este matava a sede melhor do que água pura. garrafa térmica Segundo alguns, os índios Guarani não só tomam o mate (ou tereré), mas também a erva em infusão (como chá), também fumando a erva bruta e cheiravam como rapé. Também conhecida como cogonha, a erva-mate é uma árvore que apresenta características típicas de plantas do bioma da Mata de Araucária.

Muito comum no Rio de Janeiro, o chá também tem a erva-mate como ingrediente. A diferença aqui é que, ao contrário do chimarrão e do tererê, as folhas da planta são tostadas até ficarem bem escuras, quase negras. Biscoito “O Globo” combinado com chá-mate é uma das grandes tradições das praias cariocas. Enquanto que o chimarrão é feito apenas com água quente e a erva-mate, mas também permite algumas misturas, como a camomila, o guaco, o boldo, a hortelã, o capim-limão, o funcho, e por aí vai. Os amantes de chimarrão preferem consumi-lo em jejum pela manhã e ou à tarde. Mas ela também pode ser uma bebida para o ano todo, já que é ótima para aquecer.

“Aqui a gente tem uns cinco quilos de erva para tereré. Para chimarrão, a gente está levando um pouco também”, conta Irandir Júnior Campos. Pois a “estrela” das duas bebidas, a erva-mate, ainda possui muitas vitaminas, como as do complexo B, a vitamina C e a vitamina D, e sais minerais, como cálcio, manganês e potássio. Além disso, combate os radicais livres, auxilia na digestão e produz efeitos anti-reumático, diurético, estimulante e laxante. A contraindicação é para pessoas que sofrem de insônia, pois é um estimulante natural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *